Cuidado com a Black Friday: 7 formas de se proteger nas compras online

Se inicialmente as datas da Black Friday poderiam passar despercebidas noutros locais que não a América do Norte, a prática de descontos maciços nestas ocasiões alastrou-se já a outros continentes.

A verdade é que, se optarmos por compras online na esperança de resistir a determinadas ofertas, estamos redondamente enganados. É no digital que se materializa o maior número de estratégias de manipulação de vendas, com apelos subtis, mas eficazes, que tornam a compra irresistível.

Prevê-se que o mercado global do comércio eletrónico cresça para 4,9 trilhões de dólares americanos até 2021. Em 2018, um em cada dez dólares gastos globalmente foi gasto online, e em 2022 as vendas online representarão 17% de todas as vendas globais ao consumidor.

As compras online durante o mês de novembro quase triplicam de ano para ano e as vendas flash associadas ao último fim de semana de novembro não são apenas negócios exclusivos de 24 horas já que muitas vezes duram toda a semana até a Black Friday & Beyond, culminando na chamada Cyber Monday, quando as lojas reduzem ainda mais os preços dos produtos que estão a vender online.

E comprar online é cada vez mais fácil: através de smartphones, tablets, aplicações e até mesmo assistentes virtuais, tudo contribui para compras mais instantâneas e impulsivas. Tantas oportunidades de transações que se tornam em excelentes oportunidades para quem exerce atividades criminosas, uma vez que o impulso da compra se sobrepõe muitas vezes à preocupação com ligações de wi-fi seguras, emails de phishing com ofertas imperdíveis, ou sites falsos que recolhem os dados dos cartões de crédito.

Importa assim, chamar a atenção para as melhores práticas de cibersegurança a implementar nestes dias de oportunidades de compras.

 

Deve acima de tudo aplicar o bom senso e suspeitar sempre que uma oferta “parece boa demais para ser verdade” porque… grande parte das vezes é!

 

Ficam aqui algumas dicas que ajudarão a minimizar os seus riscos de segurança nas compras online para a época que se avizinha:

  • Use ligações seguras. As redes públicas ou abertas de wi-fi são uma excelente porta de entrada para os hackers. Não faça compras on-line através de rede inseguras e dê preferência a redes wi-fi que exijam encriptação já que dificultam a ação dos hackers e representam um reforço de segurança. Caso tenha mesmo que recorrer a redes públicas, garanta que o seu computador ou telefone tenha o antivírus e firewall a funcionar e atualizados, e instale uma das várias aplicações que já existem para se proteger nesses acessos (por exemplo, o Security Master - Antivírus, VPN, AppLock, Booster ou o WiFi Doctor);

  • Use senhas complexas e diferentes. Na altura de se registar num site, garanta o uso de senhas longas, de preferência com palavras aleatórias, letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos e sempre diferentes, de site para site. Caso tenha dificuldade em gerar e gerir passwords, existem já aplicações que ajudam nessa matéria, como é o caso do LastPass ou Keeper;

  • Fique atento aos e-mails. Esta é altura do ano em que deverá receber muitos e-mails promocionais com links para ofertas imperdíveis ou anexos com descontos únicos. Fique atento aos remetentes e verifique sempre antes de responder, especialmente se isso implicar partilhar dados adicionais sobre si. Existem várias formas de ajudar a identificar um e-mail de phishing que passam muitas vezes pela criação de um sentido de urgência ou de pânico. Por exemplo, pode ameaçar que a sua conta será suspensa ou a oferta irá esgotar-se, se não responder imediatamente. Outra forma de verificar a fiabilidade dos links é verificando como aparece o endereço do site na barra de endereços: um endereço com conexão segura inicia-se por HTTPS ou possui um pequeno ícone de cadeado na barra de endereço do browser. Teste o seu conhecimento sobre este tema fazendo o quiz da Google / Jigsaw;

  • Navegue em URLs credíveis. Os sites credíveis contêm a identificação do vendedor, endereço físico, número de telefone e email. Desconfie de sites que não fornecem elementos fidedignos, bem como informações sobre a política de privacidade e de segurança. Hoje em dia, os próprios browsers já incluem recursos de segurança que permitem bloquear pop-ups irritantes, enviar solicitações “Do Not Track” (não rastrear, em tradução livre) a sites, desativar conteúdos inseguros em flash, impedir downloads maliciosos e controlar quais os sites que podem aceder à webcam do seu computador, microfone, etc. Outra forma simples de testar a segurança de um site é verificando o destino do link antes de clicar nele (basta arrastar o ponteiro do rato sobre qualquer link para verificar o URL ao qual ele está vinculado). Verifique se o link tem erros de escrita, letras repetidas ou outras falhas que possam indicar um site impostor. Existem inúmeras ferramentas no mercado que o ajudam a estar protegido. O Antivírus AVIRA, por exemplo, bloqueia sites infectados, ataques de phishing (redes sociais, e-mail etc.);

  • Evite as ajudas. Se cedeu o seu contato telefónico em algum momento do registo e alguém lhe telefonar para o “ajudar” com um problema, não lhe dê qualquer informação confidencial nem permita que acedam ao seu computador ou conta bancária;

  • Confirme as faturas. Desde logo, certifique-se que é uma fatura válida, ou seja, refere-se a uma compra realmente efetuada. Depois confirme se o valor está correto, se os dados para pagamento estão corretos, qual o prazo de entrega ou outras condições associadas. Não aceite pedidos para alterar os detalhes de pagamento da conta bancária e prefira usar um cartão de crédito ou plataformas como o Paypal em vez de um cartão de débito, pois muitas vezes há mais proteção em caso de crime e muitas vezes há limites de gastos. Ou então recorra a um cartão que seja usado apenas para fazer compras online;

  • Guarde toda a documentação. Depois de efetuada a compra, guarde toda a documentação gerada para o caso de ser necessário trocar ou devolver o que comprou, pedir assistência pós-venda ou acionar a garantia. A Keep Warranty, por exemplo, é uma App que guarda as faturas e garantias, notificando-o quando estão prestes a expirar. 

 

Com a evolução cada vez mais rápida das plataformas de compra on-line e o acompanhamento das mesmas em termos de cibercrime, estar atento a estas questões é o mínimo que se pode fazer.

A entrada em vigor do Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia, entre outros regulamentos sobre privacidade e uso de dados, tornou estes assuntos cruciais para as marcas que vendem online, mas também para os cada vez mais informados e atentos consumidores.

Se precisar de mais informações ou aconselhamento sobre estas ou outras questões, fale connosco!


;